Após baque em 2020, setor de flores projeta aumento nas vendas com o Dia das Mães.

Crescimento da procura nos últimos dias traz otimismo em recuperar prejuízos do ano passado, quando vendas despencaram por causa da pandemia


Pátio de flores para comercialização no Dia das Mães (Foto: Cooperativa Veiling Holambra/Divulgação)


A projeção também traz confiança em recuperar as perdas acumuladas desde o começo da crise, afirma a empresária Regina Bazani, sócia-proprietária da Mil Plantas, que além de uma loja, tem três boxes na Feira de Flores da Ceagesp.

powered by Rubicon Project

“Para este ano, nossa previsão é recuperar a lacuna de 2020 por causa da pandemia, onde tivemos queda de 50% nas vendas em relação a 2019", destaca.


Um termômetro disso são as vendas nas cooperativas e regiões produtoras, que já estão aquecidas. "No ano passado, estivemos nessa época no ápice da pandemia, e o setor não funcionou praticamente durante o mês de abril inteiro", ressalta Regina.

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) espera um aumento de 25% nas vendas de flores no varejo na comparação com 2020. Segundo o vice-presidente institucional e administrativo da entidade, Márcio Milan, o volume não deve recuperar as perdas do ano passado, mas tende a se aproximar dos números de 2019.


Neste ano, o destaque está na qualidade das flores, em especial as mais vendidas nesse período: rosas, tulipas e orquídeas. “Neste ano, o que chama a atenção é a qualidade, que está muito boa, e o consumidor vai perceber que a durabilidade está maior”, garante Milan.


O executivo explica ainda que, neste ano, muitos consumidores anteciparam suas compras de flores para o Dia das Mães. Diferente dos anos anteriores, quando as vendas concentravam-se no sábado e domingo, o que se observa no varejo, segundo ele, é que a grande procura pelas flores nos supermercados começou desde quinta-feira (6/5).


Crescimento

Mesmo com o período de isolamento e as restrições impostas pela pandemia de Covid-19, como o cancelamento de eventos, festas, casamentos e aniversários, os produtores e comerciantes do setor de flores seguem se reinventando para se adaptar aos novos tempos.

“Estamos muito otimistas de que não apenas as flores de vaso e de corte tenham um incremento de vendas no Dia das Mães, como também as plantas ornamentais, cujas novas variedades que chegam ao mercado vislumbram pela beleza. Muitos produtores conseguiram antecipar as vendas para a garantia de produtos. Com isso, a demanda para quem deixar para a última hora pode ser maior do que a oferta”, explica Kees Schoenmaker, presidente do Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor).


A Cooperativa Veiling está trabalhando para vender, no máximo, 75% da produção antecipadamente, pois é preciso garantir produtos também para os leilões diários. “Em 2020 os distribuidores não apostaram o suficiente na data e, por isso, estamos usando as vendas de 2019 para traçar nossas metas. E, esperamos neste ano superar em 20% as vendas de 2019”, informa o CEO da Cooperativa Veiling Holambra, Jorge Possato, que reúne cerca de 400 produtores.

Na previsão de Antônio Carlos Rodrigues, presidente do Ceaflor, mercado do Circuito das Flores situado em Jaguariúna (SP) e que reúne mais de 350 empresas, este ano deve haver um crescimento entre 8% e 10% em relação a 2020. Para isso, Ceaflor agilizou a ampliação das suas instalações e concluiu o píer de carregamento e as novas vagas de estacionamento a tempo de atender as demandas da data.


Novas variedades

As novas variedades de plantas ornamentais, que chegam em novas cores, texturas e formas, faz com que elas já dividam espaço com as flores nas prateleiras de floriculturas, gardens centers e supermercados como opção de presente no Dia das Mães.


Rosa Wasabi, uma das novidades deste ano para o Dia das Mães (Foto: Swart/Arquivo pessoal)


Muitas das novas variedades de plantas ornamentais apresentam rara beleza, como as begônias Caracol, (folhas crescem em espiral) e Maculata (folhas verdes com poás brancas), as bromélias “Estrela da terra” (com folhas pontiagudas bi ou tricolores ou rajadas) e a zamioculca black (verde super escuro que chega próximo ao preto).


Muito decorativas e duráveis, as plantas ornamentais atraem cada vez mais consumidores que, desde o início da pandemia da Covid-19, passaram a cuidar mais dos jardins e, também, a cultivar as espécies em ambientes internos, uma vez que elas ajudam a purificar o ar e a reduzir o estresse nesses tempos de isolamento social.

O mix de flores e plantas ornamentais apresentado ao mercado é formado por cerca de 300 espécies e mais de 3.500 variedades. Além do comportamento do consumidor incluir o hábito de ter plantas e flores em casa para tornar o ambiente mais agradável, novos conceitos, como o Urban Jungle (floresta urbana) vieram para ficar.


#somosIBRAFLOR


Fonte: https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Empresas-e-Negocios/noticia/2021/05/apos-baque-em-2020-setor-de-flores-projeta-aumento-nas-vendas-com-o-dia-das-maes.html

297 visualizações0 comentário