top of page

Comunicado IMPORTANTE



O IBRAFLOR - Instituto Brasileiro de Floricultura - é o órgão que representa, assiste, orienta e defende os interesses do setor de Flores e Plantas Ornamentais no Brasil. Estamos cientes da dificuldade que o setor de decoração e o varejo vêm enfrentando e estamos estudando, juntamente com a ABAF (Academia Brasileira de Artistas Florais) e as principais Cooperativas e Mercados, formas de auxiliar o setor para amenizar o problema e, também, contribuir com a nossa análise para que haja o entendimento correto dos fatos.


Uma das manchetes sobre os nossos produtos para o Dia das Mães foi: “Preço das flores tem reajuste de 400%”. Realizamos um levantamento com as principais centrais de comercialização e chegamos em uma média de 40% de reajuste (na comparação com o Dia das Mães/ 2021) para as flores de corte, sendo que apenas alguns produtos apresentaram um índice maior, como as rosas, as alstroemérias e os lisianthus.


Para que se tenha um melhor entendimento, os produtores associados, que realizam o comércio por meio das cooperativas, abriram seus números de reajuste do ano de 2019 até 2022 e nenhum deles ultrapassa 150% de correção na soma deste período. No quesito volume, os números indicam uma queda de 13% na comparação com 2019 já que, devido à falta de mercado, alguns produtores reduziram suas produções ou, até mesmo, pararam de produzir. A expectativa é a de que a oferta comece a se regularizar a partir do segundo semestre de 2022. Também consideramos as diversas regiões e variedades de produtos, cada qual com seu ciclo de produção.


Realizamos uma pesquisa com lojistas de diversas regiões e tivemos a sinalização de uma sobra em torno de 10% de produtos nas lojas. Embora as vendas tenham sido abaixo da expectativa, os produtos foram vendidos na semana posterior ao Dia das Mães por um valor inferior, mas não fora da margem de lucro.


A questão principal, deste desiquilíbrio de oferta e demanda, é que houve a retomada dos eventos, principalmente casamentos e formaturas, somando com a data mais importante do ano para o nosso comércio: o Dia das Mães. Houve um grande aumento da demanda pelas flores de corte em um momento no qual os produtores ainda não conseguiram disponibilizar ao mercado a mesma oferta de antes da pandemia.


A demanda foi maior do que a oferta, resultando em uma margem de preços mais alta. Importante salientar que o mercado propicia alternativas de compras antecipadas. Em alguns casos, as flores e plantas foram ofertadas antecipadamente pelos os produtores (desde março de 2022) e, aqueles que concretizaram o negócio, conseguiram preços melhores na compra.


A ABAF, Academia Brasileira de Artistas Florais, têm mantido contato com floristas de todas as regiões do Brasil, que formaram grupos de discussões para alinhar ações e planejamento em conjunto. A próxima data importante está próxima, que é o Dia dos Namorados e, diante desse cenário de mercado, as nossas reflexões devem ser sobre: primeiro como valorizar os nossos produtos, pois o mercado evoluiu muito nos últimos anos e temos hoje uma infinidade de opções além da tradicional rosa vermelha (que hoje não se encontra com a oferta ideal) e segundo não criar incentivos para o consumo de outros tipos de presentes.


Estamos acompanhando a situação e atentos às demandas e gargalos. Nossa união, o nosso profissionalismo e a vontade de trabalhar - e de ajudarmos uns aos outros - é o que nos fortalece para vencer esses desafios.


Caso tenha alguma sugestão, favor encaminhar em nosso e-mail (ibraflor@ibraflor.com).







1.304 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


As floriculturas estão morrendo.

Pedimos SOCORRO URGENTE!!!!

Os preços estão absurdos.

Os mercados vendem a preço de custo!

O ramo farmacêutico conseguiu impedir essa concorrência há anos!

E nós, Floriculturas, estamos sofrendo pra nos manter de pé.

Muitas já fecharam as portas!

Haja criatividade pra tentar sobreviver!

Em tempos de crise, o preço fala mais alto.

SOCORRO!!!!

Like

Glaci Javu
Glaci Javu
May 24, 2022

Tenho floricultura a mais de trinta anos no RS, hoje minha filha quem toca os negócios, nesses anos todos vi lojas abrirem e fecharem. As dificuldades são as mesmas, quando os mercados passaram a vender flores ficou muito pior, qualidade péssima e preços baixos , a maioria não conhece, não sabe diferenciar e busca preço e não qualidade. Os últimos custos foram impactantes, num momento em que o dinheiro está escasso, uma crise mundial e falta de empatia com os pequenos empreendedores resulta nessa quebradeira. Hoje já penso em encerrar as atividades porque não vejo motivos ou esperança de m um danças. Hoje é mais negócio trabalhar como empregado do que dono de loja.

Like

Trabalho no atacado de embalagens a mais de 20 anos

Nunca vi clientes "fortes"tão desanimados.

A principal causa, além dos preços, é a concorrência desleal que sofrem com os mercados.

Quanto a segunda opção citada acima,fica muito difícil o florista não migrar,ou oferecer, produtos que não seja flores.

Essa situação já vem de longa data.

Trabalhamos junto aos mercados também e ,muitos deles,nos procuram e relatam que seguidamente lhes ofertam flores .

Atendemos mais de 250 clientes por mês e dá pra contar nos dedos os que estão fortes,e só conseguem se manter rentáveis porque estão colocando as flores em segundo

Like
bottom of page